A coordenação do Programa Estadual de Controle do Tabagismo irá realizar nesta quarta-feira (5), às 11h, no auditório da sede da Liga Amazonense Contra o Câncer (LACC), uma reunião para debater a implantação do Programa Saber Saúde de Prevenção do Tabagismo e de Outros Fatores de Risco de Doenças Crônicas em escolas estaduais e municipais, a partir de 2019.  A LACC está localizada na rua Padre Manoel da Nóbrega, nº 400, bairro D. Pedro, zona oeste.

O Programa Saber Saúde é gerenciado pelo Instituto Nacional de Câncer (Inca) e já funciona há 20 anos. Tem como objetivo formar profissionais da educação e da saúde para trabalharem nas escolas assuntos que promovam a saúde de crianças, adolescentes e jovens. A iniciativa faz parte das diretrizes do Programa Nacional de Controle do Tabagismo, que inclui ações de combate ao consumo de cigarro no Amazonas, que vão desde a prevenção ao tratamento para recuperar os fumantes.

Durante a reunião, estarão presentes representantes da Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), do Programa Saúde na Escola (PSE) das Secretarias de Saúde do Estado (Susam) e de Educação do Município (Semed). Na ocasião, será discutida a dinâmica de funcionamento e as práticas do PSE para tentar adaptá-las ao modelo do Saber Saúde.

Incentivo à prevenção – Segundo o coordenador do Programa de Controle do Tabagismo no Amazonas, Aristóteles Alencar, o Saber Saúde trata temas como tabagismo, uso do álcool, alimentação inadequada, exposição excessiva à radiação solar, sedentarismo e sexo sem proteção e tem como público-alvo alunos do Ensino Fundamental.

“Queremos trabalhar conteúdos relacionados com a saúde e a prevenção de doenças, principalmente, o câncer. Trata-se de uma doença que, às vezes, pode ser prevenida. Um exemplo é o de pulmão, com o não uso de cigarro; e de pele, evitando exposição excessiva ao sol. Somente a soma expressiva de mortes e incapacidade devido ao câncer justifica uma medida educativa desse porte”, destacou.

Conforme Aristóteles Alencar, a reunião servirá também para avaliar em quais escolas, primeiramente, os profissionais serão capacitados para atuarem pelo programa, além de conversar sobre a sua ampliação. “Estamos prontos para estender e levar a todos os municípios do Amazonas essa proposta”, pontuou.

Programa Saúde na Escola (PSE) – Trata-se de um programa do Governo Federal, por meio do Ministério da Saúde (MS), que funciona em escolas estaduais e municipais do Amazonas voltado, por exemplo, para o desenvolvimento de atividades como a identificação de sinais de doenças em eliminação – hanseníase, tuberculose, tracoma e esquistossomose. Além disso, também trabalha a prevenção ao uso de álcool, tabaco, crack e outras drogas, a promoção de atividades físicas, a prevenção de DST/Aids e a orientação sobre direito sexual e reprodutivo.

O PSE foi criado há 11 anos (2007), com o intuito de realizar ações para acompanhar as condições de saúde dos estudantes, por meio de avaliações e orientações. O objetivo é promover o enfrentamento das vulnerabilidades que possam comprometer o pleno desenvolvimento escolar.