Técnicos Radioterapia

Quatro técnicos da Escola Politécnica de Saúde Joaquim José Venâncio (Epsjv), de Porto Velho (RO), passaram por treinamento na Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), órgão vinculado à Secretaria de Estado da Saúde (Susam), para familiarizarem-se sobre o funcionamento do Acelerador Linear, aparelho utilizado para o tratamento de radioterapia na instituição. O estágio durou cinco meses, com início em novembro de 2017.

 

“Consideramos de extrema importância esse tipo de treinamento, que ajudará a implementar uma tecnologia de ponta na rede pública de saúde de todo o País, ampliando a oferta de tratamento e garantindo uma terapia mais eficaz à população”, destacou a diretora-presidente da FCecon, engenheira biomédica Ana Paula Lemes.

 

O Curso de Especialização Técnica de Nível Médio em Radioterapia com Ênfase em Aceleradores Lineares, foi realizada em parceria com o Instituto Nacional do Câncer (Inca) e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). A FCecon foi escolhida como um dos centros de capacitação, por dispor de um acelerador em seu parque radioterápico e também por ser a unidade do Sistema Único de Saúde (SUS) considerada referência no diagnóstico e tratamento do câncer na Amazônia Ocidental.

 

Participaram do estágio na FCecon os técnicos em radioterapia Roque Durval de Oliveira Júnior, Valdecy de Oliveira Felix, Alaide de Almeida e Mary Rodrigues Marques de Almeida.

 

O gerente de Radioterapia da FCecon, médico radioterapeuta Leandro Baldino, explicou que o objetivo do curso foi preparar os profissionais para operar os Aceleradores Lineares, que serão doados pelo Ministério da Saúde (MS), a diversos hospitais do País, a partir do Plano de Expansão da Radioterapia no SUS. Serão 80 equipamentos ao todo. A FCecon foi uma das contempladas e receberá, no segundo semestre deste ano, mais um aparelho dessa natureza, que possibilitará o aumento em até 25% na oferta de tratamento radioterápico.

 

A técnica em Radioterapia, Mary Rodrigues Marques de Almeida, explicou que a primeira etapa foi uma seleção nacional no mês de março de 2017. Ela disse que os aprovados receberam aulas sobre a Política Nacional de Humanização (PNH), a importância do cuidado diferenciado com o paciente oncológico, ética, contenção de radiação, entre outros assuntos. O treinamento ocorreu em Salvador (Bahia). “A última fase foi o estágio supervisionado na FCecon, onde tivemos a oportunidade de acompanhar os procedimentos adotados com os pacientes”.

 

Segundo Mary Rodrigues, a experiência na Fundação Cecon foi enriquecedora. “Pegamos o período de transição entre os blocos de proteção, usados para isolar os tumores dos órgãos de risco, e o dispositivo Multileaf (Collimator), acessório recém instalado, que torna a aplicação da radiação mais precisa”, pontuou.

 

Alaide de Almeida agradeceu pelo o acolhimento e destacou a paciência dos técnicos da FCecon em explicar o funcionamento do Acelerador Linear. “Tínhamos o conhecimento teórico. Os técnicos, físicos e médicos da Fundação tiveram paciência para nos ensinar a parte prática”.