meninas

O trabalho denominado “A frequência de protocolos quimioterápicos em uma instituição da região Norte”, apontou, após uma análise diária de três meses, que os cânceres de colo uterino, mama, colorretal e cabeça e pescoço, são os que mais demandam tratamento quimioterápico na Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), unidade de referência em cancerologia na Amazônia Ocidental. A pesquisa, cujo objetivo era levantar os principais protocolos clínicos utilizados pela unidade hospitalar, foi desenvolvida por uma equipe multidisciplinar dos setores de Farmácia e Enfermagem, informou a farmacêutica Bianca Ladislau.

O estudo foi selecionado entre cerca de 140 trabalhos apresentados durante o 4 Congresso Pan Amazônico de Oncologia, evento promovido pela FCecon, unidade vinculada à Secretaria de Estado da Saúde (susam), e que segue até o próximo sábado, 25, no Hotel Intercity Manaus (Adrianópolis).

Os critérios de avaliação da premiação foram definidos pela Comissão Científica do evento, composta por profissionais mestres e doutores da área da saúde, que representam instituições de ensino e pesquisa do Amazonas. A pesquisa considerou registros diários de manipulação de antineoplásicos e de quimioterapia.

Foram manipulados na instituição, durante o período analisado, 122 protocolos, incluindo monoquimioterapia e poliquimioterapia. Cerca de 300 pacientes foram inseridos na avaliação. “O resultado final do trabalho auxiliará na atualização de protocolos universais de combate e controle do câncer e na criação de um manual próprio da unidade hospitalar, viabilizando mais segurança no tratamento dos pacientes oncológicos que buscam atendimento especializado na unidade”, explicou a enfermeira Ellen Albuquerque de Freitas.

“Esses resultados corroboram com os dados bibliográficos que indicam as neoplasias de maior incidência e prevalência na região Norte,além de apontar a necessidade de se realizar novos levantamentos para aprimorar as condutas, as rotinas e o atendimento no Serviço de Quimioterapia”, comentou o professor do Departamento de Química da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Anderson Cavalcante Guimarães, um dos participantes do estudo.

Além disso, a iniciativa favorece a integração entre os setores da FCecon e seus profissionais e, consequentemente, otimiza os serviços de saúde, resultando na melhoria da assistência. Participaram do projeto os farmacêuticos Bianca Ladislau, Katyellen Freitas, Celina Guimarães, Anderson Guimarães e as enfermeiras Edilene Coelho Duarte e Ellen Albuquerque de Freitas.